Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Soam as Guitarras, em Oeiras e Évora

A guitarra, nos seu múltiplos formatos e abordagens, concentra em si própria uma grande parte da história da música. Do alaúde aos formatos mais tecnológicos, no encontro de amigos em torno de uma fogueira aos mais requintados auditórios mundiais, das mais elaboradas peças musicais à mais simples melodia, a guitarra torna verdadeiras, inesquecíveis e muito intimas, a verdade e a emoção, as histórias e as canções que fazem parte das nossas vidas.

É este universo de harmonias que o Soam As Guitarras  transporta para concertos íntimos e diversificados em salas e ambientes acolhedores que permitem aos artistas sentir melhor o seu público e ao público viver singulares momentos de partilha. Esta ideia, concretizada em parceria com o município de Oeiras, que cresce em 2018 para Évora e assim continuará ao ritmo de uma cidade por ano, tem a honra de ter como embaixador o mestre da guitarra portuguesa, António Chainho que atuará sempre em cada nova cidade. 

O Soam As Guitarras é cada vez mais palco canções, conceitos, encontros e desafios, “acompanhados“ à guitarra. E só isso, é um mundo inteiro.

Programação

OEIRAS

5
Abril
José Manuel Neto

José Manuel Neto convida Pedro Moutinho

AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
6
Abril
Mafalda Veiga

Mafalda Veiga - Crónicas da intimidade de uma Guitarra Azul

AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE) | 21h30m
Bilhetes
7
Abril
Luisa Amaro

Luisa Amaro

AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
8
Abril
Pedro Jóia

Pedro Jóia

IGREJA DA CARTUXA (CAXIAS) | 21h30m
Bilhetes
12
Abril
Rita Redshoes

Rita Redshoes convida Bruno Santos

AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE) | 21h30m
Bilhetes
13
Abril
Dead Combo

Dead Combo

AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE) | 21h30m 
Bilhetes
14
Abril
António Zambujo

António Zambujo

AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
15
Abril
Norberto Lobo

Norberto Lobo

IGREJA DA CARTUXA (CAXIAS) | 21h30m
Bilhetes

ÉVORA

6
Abril
Mestre António Chainho

Mestre António Chainho convida Rão Kyao

TEATRO GARCIA DE RESENDE | 21h30m
Bilhetes
7
Abril
Mafalda Veiga

Mafalda Veiga - Crónicas da intimidade de uma Guitarra Azul

TEATRO GARCIA DE RESENDE | 21h30m
Bilhetes
13
Abril
José Manuel Neto

José Manuel Neto convida Pedro Jóia

TEATRO GARCIA DE RESENDE | 21h30m
Bilhetes
14
Abril
Dead Combo

Dead Combo

TEATRO GARCIA DE RESENDE | 21h30m
Bilhetes

Artistas

OEIRAS

JOSÉ MANUEL NETO convida Pedro Moutinho

5 ABRIL -21H30M | AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS)

José Manuel Neto começou a tocar guitarra portuguesa com apenas 15 anos. Filho da fadista Deolinda Maria, cresceu em ambiente propício ao desenvolvimento do seu talento, tendo como referências: Carvalhinho, José Nunes, Jaime Santos e Fontes Rocha. O seu estilo é marcado pela fluidez, versatilidade e simplicidade frásica que caracteriza a melhor música popular. O guitarrista integra-se nesta “nova geração de instrumentistas de Fado com uma formação musical muito ampla, capaz de lhes permitir uma visão alargada do potencial dos seus instrumentos tanto no plano do repertório solístico como no das práticas de acompanhamento.” (cf. Rui Vieira Nery, “Para uma História do Fado”: 272). José Manuel Neto demonstra-o em palco e em edições discográficas com os mais diversos artistas, mas é, no Fado que as suas prestações são mais numerosas, realizando digressões com Carlos do Carmo, Camané, Mariza, Ana Moura, Aldina Duarte, Cristina Branco ou Mísia.  Em 2004 a Casa da Imprensa entregou-lhe o “Prémio Francisco Carvalhinho” e a Fundação Amália Rodrigues distinguiu-o em 2008 com o “Prémio Melhor Instrumentista”. Em 2009 apresenta “O Som da Saudade”, com melodias que tem vindo a compor ao longo dos anos e em 2013, integra o cartaz do 3º Festival de Fado de Madrid, evento de grande prestígio e o mais importante de divulgação do Fado em Espanha.   O domínio musical que caracteriza o seu trabalho é reconhecido, não somente através do acompanhamento de grandes fadistas, mas também na forma como interpreta a sua própria musica nos seus concertos a “solo”, bem patente no seu primeiro trabalho discográfico: “Tons de Lisboa“. 

hmmusica.pt/artists/jose-manuel-neto/

PEDRO MOUTINHO, como os seus irmãos Camané e Helder Moutinho, vive o fado desde muito pequeno, por influência dos pais, e em menino já o cantava. A sua discografia conta com seis títulos, cinco dos quais com originais. Mas é no último, O Fado em nós, de 2016, que gravou a sua, até agora, obra-prima, "a sua joia mais polida", como escreveu Nuno Pacheco. Pedro Moutinho é hoje, por provas dadas, dos maiores da sua geração.

http://www.uguru.net/artista/pedro-moutinho-2/

 

MAFALDA VEIGA "Crónicas da intimidade de uma guitarra azul"

6 ABRIL – 21H30 | AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE)

É no aconchego da sua intimidade e no de uma guitarra que a Mafalda Veiga compõe as suas canções, as quais ganham outra vida quando trabalhadas com outros instrumentos, arranjos, produção. Aliás, a Mafalda tem várias canções que, ao longo dos seus trinta anos de carreira, se “vestiram” de arranjos muito diferentes, tornando- se quase novas canções.

Mas um reportório tão vasto basta-se a si próprio e o desafio deste espetáculo, no qual a Mafalda se apresenta em solo absoluto, é transpor essa intimidade tão dela e da guitarra e mostrá-la ao público – só a Mafalda e as suas canções, as suas guitarras (entre elas a nova guitarra azul) e muitas das ideias e instrumentos que usa e que a convocam para escrever e compor. Para tal, é recriado em palco o ambiente da sala / estúdio da Mafalda e vários momentos vão ser construídos mesmo ali, de frente para o público, sem rede.

Neste espetáculo estão contempladas algumas das canções incontornáveis da Mafalda Veiga, bem como do mais recente disco “Praia”, como por exemplo o tema “Olha como a vida boa”, que integra a banda sonora da telenovela da TVI “Jogo duplo”, bem como outras que têm deixado saudade e que voltam agora a ganhar voz, tais como “Gente perdida”, “Fragilidade”, “Una Casa”, entre outras.

A Mafalda convidou também o Rui Reininho a adaptar para português algumas das suas canções preferidas, o que ele fez com a classe e o humor subtil que tanto o caracterizam, sendo um dos momentos surpreendentes deste “Crónicas da intimidade de uma guitarra azul”.

A Mafalda Veiga, na sua forma mais simples e direta ao coração; como só ela sabe.

www.mafaldaveiga.com

 

LUISA AMARO

7 ABRIL -21H30M | AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS)

Estudou Guitarra no Conservatório Nacional de Lisboa com o Professor José Lopes e Silva e prosseguiu mais tarde os seus estudos em Barcelona com a grande guitarrista argentina Maria Luisa Anido. Em 1984 começa a tocar com Mestre Carlos Paredes (1925-2004), que acompanha por todo o mundo.

Desde 1995 que Luisa Amaro se dedica, como autodidata mas também como compositora, ao estudo da guitarra portuguesa.

Desde 1996 que, como concertista, a solo ou com outros instrumentos (nomeadamente clarinete baixo e piano) tem dado inúmeros concertos por todo o país e estrangeiro.

A sua forma de compor traduz uma busca incessante de novas envolvências tímbricas e de um repertório diferente para um instrumento carregado de tradição simbólica ligada ao fado.

Como guitarrista e compositora, destacam-se os seguintes CD's: Canção para Carlos Paredes (2004), Meditherranios (2009) e Argvs (2014).

www.althum.com/argvs.com/Argvs/luisa-amaro.html

 

PEDRO JÓIA

8 ABRIL -21H30M | IGREJA DA CARTUXA (CAXIAS)

Pedro Jóia possui uma aplaudida carreira nacional e internacional que se estende por mais de duas décadas. Estreou-se nos discos com Guadiano em 1996 e desde então não deixou de enriquecer uma linguagem que parte da tradição portuguesa e busca inspiração na música do Brasil, de África, no flamenco e no jazz, para o desenho de uma linguagem guitarrística altamente personalizada e original. Na sua discografia, Pedro Jóia homenageou Carlos Paredes, explorou a sofisticação do flamenco e ergueu um som que lhe valeu os mais rasgados elogios e importantes prémios, como o Prémio Carlos Paredes em 2007 pelo álbum À Espera de Armandinho.

A mestria de Pedro Jóia também lhe tem valido os mais diversos convites e por isso tem ao longo dos anos pisado palcos ao lado de grandes vozes como Ney Matogrosso, Gilberto Gil, Raquel Tavares ou Mariza com quem tem viajado internacionalmente desde 2012. É igualmente presença frequente em concertos do colectivo Resistência, um projecto que integra importantes nomes da música portuguesa como Pedro Ayres Magalhães, Fernando Cunha ou Tim e que vive da ideia de cruzamento da guitarra clássica com momentos altos do nosso cancioneiro pop.

www.uguru.net/artista/pedro-joia/

 

RITA REDSHOES convida Bruno Santos

12 ABRIL – 21H30 | AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE)

Rita Redshoes iniciou o seu percurso como baterista num grupo de teatro de escola, passou por inúmeros projectos musicais como autora e intérprete, onde tocou muitos instrumentos e gravou vários discos (Atomic Bees, Photographs, Rebel Red Dog, David Fonseca, The Legendary Tigerman, Noiserv). Tem também colaborado em inúmeras bandas sonoras premiadas para teatro e cinema, tendo, inclusivamente, discos editados nesta área. Recentemente tocou no lendário Joe’s Pub, em Nova Iorque e apresentou também em Nova Iorque, no MoMA, e posteriormente em Berlim, a banda sonora original do documentário “Portugueses no Soho”, de Ana Ventura Miranda.

Em 2016, depois de "Golden Era" (2008), "Lights & Darks" (2010) e de “Life is a Second of Love” (2014), Rita Redshoes rumou em Junho a Berlim, onde gravou o seu quarto álbum de estúdio.

O novo registo discográfico, “Her”, contou com a produção de Victor Van Vugt, produtor do seminal disco de Nick Cave, "Murder Ballads" e do disco de Beth Orton, "Trailer Park”, vencedor do prestigiado Mercury Prize. O produtor australiano já trabalhou também com artistas tão diversos como P.J.Harvey, Depeche Mode, The Fall, Billy Bragg ou Einsturzende Neubauten, entre outros. Para além de ser o álbum em que a artista mais instrumentos tocou (piano, omnichord, teclados e guitarra acústica) é também o trabalho em que Rita Redshoes escreve e interpreta, pela primeira vez a solo, três temas em português, um dos quais em co-autoria com Pedro da Silva Martins. 

ritaredshoes.com

BRUNO SANTOS inicia os seus estudos musicais no Conservatório do Funchal e depois frequenta o Conservatório de Faro. Ingressa na Escola Luiz Villas Boas (Hot Clube) em 1998. Em 2009 assume a coordenação pedagógica da escola Luiz Villas Boas. Lecciona presentemente no curso de jazz da ESML (Escola Superior de Música de Lisboa). Participa em vários projectos: Trioangular (como líder), 7to HCP (composição e arranjos), Big Band HCP, Laurent Filipe “Ode to Chet”, Paula Oliveira “Fado Roubado”, Joana Machado “A Casa do Óscar”. Tocou com: Bernardo Moreira, João Moreira, Filipe Melo, Pedro Moreira, Paula Oliveira, Claus Nymark, André Sousa Machado, Bruno Pedroso, Nelson Cascais, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Maria João, Marta Hugon, Joana Machado, Chris Cheek, Perico Sambeat, Julien Arguelles, Donald Harrison, Alexandre Frazão, Laurent Filipe, Carlos Martins, Jesse Davis, Peter Bernstein, Paulinho Braga.

 

DEAD COMBO

13 ABRIL – 21H30 | AUDITÓRIO MUNICIPAL RUY DE CARVALHO (CARNAXIDE)


Os DEAD COMBO editam em Abril, o  seu sexto álbum de originais. Odeon Hotel, assim se chama o novo disco gravado em Lisboa, nos Estúdios Namouche, durante o mês de Setembro e 2017. Com produção de Alain Johannes (Queen Of Stone Age, PJ Harvey, Chris Cornell, etc), este novo disco é a síntese perfeita da portugalidade e universalidade existentes na música dos DEAD COMBO. Pela primeira vez na história da banda, o disco será editado em todo o mundo com o selo de uma das maiores editoras internacionais, a Sony Music. No Soam As Guitarras os DEAD COMBO apresentam o espetáculo do novo disco com uma formação inédita com músicos convidados: 

Tó Trips – Guitarras

Pedro Gonçalves – Guitarras, Contrabaixo, Melódica, Pianinho

Alexandre Frazão – Bateria

Gui – Sopros, Teclas

António Quintino – Baixo, Contrabaixo, Guitarras

deadcombo.net

 

ANTÓNIO ZAMBUJO

14 ABRIL -21H30M | AUDITÓRIO MUNICIPAL EUNICE MUÑOZ (OEIRAS)


António Zambujo é um dos nomes incontornáveis da música portuguesa actual, na medida em que soube construir uma identidade própria que lhe tem valido reconhecimento, somando salas esgotadas, dentro e fora de Portugal, e vários prémios. 

O seu percurso musical está traçado de forma distinta entre o Fado e o Cante Alentejano, num estilo único. A pulsação da sua música deixa perceber ainda uma frequência marcada pela MPB, que tem sido progressivamente assumida e está particularmente presente no seu sétimo álbum, "Até Pensei Que Fosse Minha". Um disco exclusivamente composto por canções de Chico Buarque, gravado no Brasil sob a alçada do próprio.

Neste concerto a solo, Zambujo não será diferente do que sempre é, um cantor e músico de excelência com um vasto repertório e a capacidade única de cativar o público, aqui num registo intimista.

www.antoniozambujo.com

 

NORBERTO LOBO

15 ABRIL -21H30M | IGREJA DA CARTUXA (CAXIAS)

Norberto Lobo, uma das figuras principais da música portuguesa do nosso tempo, tem novo álbum de originais. “Muxama, o mais fresco capítulo realizado pela expressão artística do Norberto à guitarra, como sempre fruto do seu rico mundo interior, pujante curiosidade pela vida e pelas pessoas - músicos, seus pares, e público, outras pátrias e línguas e culturas - e uma particular inquietude estética perante a linguagem musical que vem oferecendo com a sua seis cordas. 

Revelando-se o seu álbum 'mais elétrico' até à data, Norberto emprega agora pedais de efeitos e filtros em tempo real para com a sua técnica prodigiosa dar forma às suas ideias musicais, o que confere uma inspirada dimensão prismática à obra produzida, moldando noções de tempo, timbre e frases de maneira brilhante, simultaneamente clássica e póstera. Norberto continua a impulsionar a inovação no seu trabalho com uma subtileza tal que o parece revestir de uma espécie de liberdade fantástica, qualidade também presente nos Oba Loba, o sexteto de música criativa expandido a partir da parceria nuclear estabelecida com o baterista João Lobo.

norbertolobo.bandcamp.com

 

ÉVORA

ANTÓNIO CHAINHO convida Rão Kyao

6 ABRIL – 21H30M | TEATRO GARCIA DE RESENDE

Se a guitarra portuguesa é um símbolo de um país, Mestre António Chainho é um dos seus mais notáveis embaixadores. Os mais de 50 anos de carreira recentemente celebrados, traduzem as múltiplas emoções deste instrumento único no mundo e o talento inigualável de um dos "50 músicos mais influentes da World Music", segundo a revista internacional Songlines.

Artista completo, guitarrista e compositor Mestre António Chainho, que reside no concelho da Amadora há mais de 50 anos, é o exemplo vivo de como a paixão, entrega, perseverança e solidariedade - em forma de cumplicidade - moldam a vida de um homem e, ao mesmo tempo, a história da musica popular. Partilhou o seu talento com Paco de Lucia, John Williams, José Carreras, KD Lang, Paulo de Carvalho, Pedro Abrunhosa, Rui Veloso, Ana Bacalhau, Teresa Salgueiro, Maria Bethânia, Elba Ramalho, Caetano Veloso e muitos outros artistas de mundos muito diversos. Mas é na pureza do seu dedilhado e na cumplicidade que estabelece com o público, que se revela a gama de emoções para a qual nasceram e tornam inseparáveis a guitarra portuguesa e Mestre António Chainho.

www.antoniochainho.com

RÃO KYAO tem-se distinguido pela sua persistente vontade em redescobrir o Oriente. Fazendo uso da flauta de bambu e do saxofone, ele foi encontrando inspiração na música indiana, árabe, africana e chinesa, restabelecendo assim o elo perdido entre a tradição musical portuguesa e o Oriente.

Os mais de 20 álbuns que editou até hoje indiciam, de uma forma muito clara, a intenção expressa de, a cada passo, redescobrir as raízes da música tradicional portuguesa, não temendo, antes pelo contrário, o confronto com as suas fontes primordiais: a música indiana e a música árabe.

 

MAFALDA VEIGA "Crónicas da intimidade de uma guitarra azul"

7 ABRIL – 21H30M | TEATRO GARCIA DE RESENDE

É no aconchego da sua intimidade e no de uma guitarra que a Mafalda Veiga compõe as suas canções, as quais ganham outra vida quando trabalhadas com outros instrumentos, arranjos, produção. Aliás, a Mafalda tem várias canções que, ao longo dos seus trinta anos de carreira, se “vestiram” de arranjos muito diferentes, tornando- se quase novas canções.

Mas um reportório tão vasto basta-se a si próprio e o desafio deste espetáculo, no qual a Mafalda se apresenta em solo absoluto, é transpor essa intimidade tão dela e da guitarra e mostrá-la ao público – só a Mafalda e as suas canções, as suas guitarras (entre elas a nova guitarra azul) e muitas das ideias e instrumentos que usa e que a convocam para escrever e compor. Para tal, é recriado em palco o ambiente da sala / estúdio da Mafalda e vários momentos vão ser construídos mesmo ali, de frente para o público, sem rede.

Neste espetáculo estão contempladas algumas das canções incontornáveis da Mafalda Veiga, bem como do mais recente disco “Praia”, como por exemplo o tema “Olha como a vida boa”, que integra a banda sonora da telenovela da TVI “Jogo duplo”, bem como outras que têm deixado saudade e que voltam agora a ganhar voz, tais como “Gente perdida”, “Fragilidade”, “Una Casa”, entre outras.

A Mafalda convidou também o Rui Reininho a adaptar para português algumas das suas canções preferidas, o que ele fez com a classe e o humor subtil que tanto o caracterizam, sendo um dos momentos surpreendentes deste “Crónicas da intimidade de uma guitarra azul”.

A Mafalda Veiga, na sua forma mais simples e direta ao coração; como só ela sabe.

www.mafaldaveiga.com

 

JOSÉ MANUEL NETO convida Pedro Jóia

13 ABRIL – 21H30M | TEATRO GARCIA DE RESENDE

José Manuel Neto começou a tocar guitarra portuguesa com apenas 15 anos. Filho da fadista Deolinda Maria, cresceu em ambiente propício ao desenvolvimento do seu talento, tendo como referências: Carvalhinho, José Nunes, Jaime Santos e Fontes Rocha. O seu estilo é marcado pela fluidez, versatilidade e simplicidade frásica que caracteriza a melhor música popular. O guitarrista integra-se nesta “nova geração de instrumentistas de Fado com uma formação musical muito ampla, capaz de lhes permitir uma visão alargada do potencial dos seus instrumentos tanto no plano do repertório solístico como no das práticas de acompanhamento.” (cf. Rui Vieira Nery, “Para uma História do Fado”: 272). José Manuel Neto demonstra-o em palco e em edições discográficas com os mais diversos artistas, mas é, no Fado que as suas prestações são mais numerosas, realizando digressões com Carlos do Carmo, Camané, Mariza, Ana Moura, Aldina Duarte, Cristina Branco ou Mísia.  Em 2004 a Casa da Imprensa entregou-lhe o “Prémio Francisco Carvalhinho” e a Fundação Amália Rodrigues distinguiu-o em 2008 com o “Prémio Melhor Instrumentista”. Em 2009 apresenta “O Som da Saudade”, com melodias que tem vindo a compor ao longo dos anos e em 2013, integra o cartaz do 3º Festival de Fado de Madrid, evento de grande prestígio e o mais importante de divulgação do Fado em Espanha.   O domínio musical que caracteriza o seu trabalho é reconhecido, não somente através do acompanhamento de grandes fadistas, mas também na forma como interpreta a sua própria musica nos seus concertos a “solo”, bem patente no seu primeiro trabalho discográfico: “Tons de Lisboa“. 

hmmusica.pt/artists/jose-manuel-neto/

PEDRO JÓIA possui uma aplaudida carreira nacional e internacional que se estende por mais de duas décadas. Estreou-se nos discos com Guadiano em 1996 e desde então não deixou de enriquecer uma linguagem que parte da tradição portuguesa e busca inspiração na música do Brasil, de África, no flamenco e no jazz, para o desenho de uma linguagem guitarrística altamente personalizada e original.

 

DEAD COMBO

14 ABRIL – 21H30M | TEATRO GARCIA DE RESENDE


Os DEAD COMBO editam em Abril, o  seu sexto álbum de originais. Odeon Hotel, assim se chama o novo disco gravado em Lisboa, nos Estúdios Namouche, durante o mês de Setembro e 2017. Com produção de Alain Johannes (Queen Of Stone Age, PJ Harvey, Chris Cornell, etc), este novo disco é a síntese perfeita da portugalidade e universalidade existentes na música dos DEAD COMBO. Pela primeira vez na história da banda, o disco será editado em todo o mundo com o selo de uma das maiores editoras internacionais, a Sony Music. No Soam As Guitarras os DEAD COMBO apresentam o espetáculo do novo disco com uma formação inédita com músicos convidados: 

Tó Trips – Guitarras
Pedro Gonçalves – Guitarras, Contrabaixo, Melódica, Pianinho
Alexandre Frazão – Bateria
Gui – Sopros, Teclas
António Quintino – Baixo, Contrabaixo, Guitarras

deadcombo.net

Informações

LINHA INFORMAÇÕES:
Tel. 214 408 582 / 24 (das 14h00 às 20h00)

Bilhetes

OEIRAS

Auditório Municipal Eunice Muñoz (Tel. 214 408 411): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Tel. 214 170 109): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
Igreja da Cartuxa (Tel. N/T): dias de espetáculo, a partir das 18H00;
Loja/Posto de Turismo do Palácio Marquês de Pombal (Tel. 214 430 799): diariamente, entre as 10H00 e as 18H00;
CAMB – Centro de Arte Manuel de Brito (214 111 400): 3ª a 6ª Feira, 10H00 às 18H00; Sábados, das 12H00 às 18H00
CCPE – Centro Cultural Palácio do Egipto (214 408 781): de 3ª Feira a Sábado, das 12H00 às 18H00. Encerra aos Feriados;
Recepção/Loja da Fábrica da Pólvora de Barcarena (210 977 420): de 3ª Feira a Domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00; Dias de espetáculo, até às 22h30;

ÉVORA

Teatro Garcia de Resende (Tel: 266 703 112)
Arena d’Évora (Tel: 266 743 133)
Posto de Turismo de Évora (Tel: 266 777 071)
Pontos de Venda Nacionais: Worten, FNAC, CTT, El Corte Inglês

Locais de Venda

  • Auditório Municipal Eunice Muñoz (Tel. 214 408 411): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
  • Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Tel. 214 170 109): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
  • Igreja da Cartuxa (Tel. N/T): dias de espetáculo, a partir das 18H00;
  • Loja/Posto de Turismo do Palácio Marquês de Pombal (Tel. 214 430 799): diariamente, entre as 10H00 e as 18H00;
  • CAMB - Centro de Arte Manuel de Brito (214 111 400): 3ª a 6ª Feira, 10H00 às 18H00; Sábados, das 12H00 às 18H00;
  • CCPE - Centro Cultural Palácio do Egipto (214 408 781): de 3ª Feira a Sábado, das 12H00 às 18H00. Encerra aos Feriados;
  • Recepção/Loja da Fábrica da Pólvora de Barcarena (210 977 420): de 3ª Feira a Domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00; Dias de espetáculo, até às 22h30;
  • Ticketline (Sede): 2ª a 6ª Feira, das 11H00 às 20H00; Sábados, das 13H00 às 20H00;
  • www.ticketline.sapo.pt, Fnac, Worten, El Corte Inglés , C. C. Dolce Vita, Casino Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Ag. Abreu, A.B.E.P., MMM Ticket e C. c. Mundicenter,  Fórum Aveiro,  U-Ticketline, C.C.B, Time Out Mercado da Ribeira, Shopping Cidade do Porto, Lojas NOTE, SuperCor - Supermercados e ASK ME Lisboa.

Um projecto:
Oeiras Marca o ritmoGhude
Co-produção:
Parcerias:
 
Soam as Guitarras 2018
Facebook Linkedin Twitter Google + Pinterest