Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Soam as Guitarras em: Oeiras, Évora e Póvoa de Varzim

A guitarra, nos seu múltiplos formatos e abordagens, concentra em si própria uma grande parte da história da música. Dos formatos mais tecnológicos, do encontro de amigos em torno de uma fogueira aos mais conceituados auditórios mundiais, da mais simples melodia às mais elaboradas peças musicais, a guitarra torna verdadeiras, inesquecíveis e muito íntimas, a verdade e a emoção, as histórias e as canções que fazem parte das nossas vidas.

É este universo que o Soam As Guitarras transporta para concertos íntimos em salas diversificadas (teatro, igrejas, auditórios) que se constituem como ambientes acolhedores que permitem aos artistas sentir melhor o seu público e ao público viver singulares momentos de partilha. Esta ideia, concretizada desde o príncipio em parceria com o município de Oeiras, alargou-se em 2018 a uma coprodução com município de Évora e estende-se em 2019 à Póvoa de Varzim, continuando assim ao ritmo de uma cidade por ano, com a honra de ter como embaixador o mestre da guitarra portuguesa, António Chainho que protagoniza o concerto de apresentação em cada nova cidade, a exemplo do realizado para esta III edição, em Novembro de 2018, no Cine-Teatro Garrett, com António Zambujo como convidado.

Queremos que o Soam As Guitarras seja cada vez mais palco de canções, conceitos, encontros e desafios, "acompanhados" à guitarra. E só isso, é um mundo inteiro.

Soam As Guitarras é um projeto Câmara Municipal de Oeiras e Ghude
Coprodução: Câmara Municipal de Évora | Câmara Municipal Póvoa de Varzim
Parcerias: CISION| Hope Consulting
Media partner: Antena 1

Programação

OEIRAS

4
Abril
Aline Frazão

Aline Frazão convida Pedro Jóia

Auditório Municipal Eunice Muñoz (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
5
Abril
Luísa Sobral

Luísa Sobral (duo)

Auditório Municipal Eunice Muñoz (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
6
Abril
David Fonseca

DAVID FONSECA - RADIO GEMINI_Closer

Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Carnaxide) | 21h30m
Bilhetes
7
Abril
Pedro Caldeira Cabral

PEDRO CALDEIRA CABRAL

Igreja do Convento da Cartuxa (Caxias) | 21h30m
Bilhetes
11
Abril
Pedro Caldeira Cabral

THE LEGENDARY TIGERMAN convidada especial CALCUTÁ

Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Carnaxide) | 21h30m
Bilhetes
12
Abril
Manel Cruz

MANEL CRUZ

Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Carnaxide) | 21h30m
Bilhetes
13
Abril
Ângelo Freire

ÂNGELO FREIRE

Auditório Municipal Eunice Muñoz (OEIRAS) | 21h30m
Bilhetes
14
Abril
Ricardo Rocha

RICARDO ROCHA

Igreja do Convento da Cartuxa (Caxias) | 21h30m
Bilhetes

ÉVORA

4
Abril
David Fonseca

DAVID FONSECA - RADIO GEMINI_Closer

Teatro Garcia de Resende | 21h30m
Bilhetes
5
Abril
Rubel

RUBEL

Igreja de São João Evangelista (Palácio Cadaval) | 21h30m
Bilhetes
5
Abril
Marta Pereira da Costa

MARTA PEREIRA DA COSTA convida TIAGO BETTENCOURT

Teatro Garcia de Resende | 21h30m
Bilhetes
6
Abril
Royal Bermuda

ROYAL BERMUDA

Igreja de São João Evangelista (Palácio Cadaval) | 21h30m
Bilhetes
6
Abril
The Legendary Tigerman

THE LEGENDARY TIGERMAN convidada especial CALCUTÁ

Teatro Garcia de Resende | 21h30m
Bilhetes
7
Abril
Ricardo Rocha

RICARDO ROCHA

Igreja de São João Evangelista (Palácio Cadaval) | 21h30m
Bilhetes

PÓVOA DE VARZIM

11
Abril
Manel Cruz

MANEL CRUZ

Diana Bar | 21h30m
Bilhetes
12
Abril
The Legendary Tigerman

THE LEGENDARY TIGERMAN convidada especial CALCUTÁ

Cine-Teatro Garrett | 21h30m
Bilhetes
13
Abril
Marta Pereira da Costa

MARTA PEREIRA DA COSTA convida TIAGO BETTENCOURT

Cine-Teatro Garrett | 21h30m
Bilhetes
14
Abril
David Fonseca

DAVID FONSECA - RADIO GEMINI_Closer

Cine-Teatro Garrett | 21h30m
Bilhetes
Passe Soam As Guitarras 2019| Exclusivo Póvoa de Varzim | 4 CONCERTOS (Edição limitada)

Artistas

Ângelo Freire

Ângelo Freire é o talento da sua geração na guitarra portuguesa. Uma figura proeminente no circuito do fado, com centenas de concertos no seu percurso, nas mais prestigiadas salas do mundo como o Olympia, Carnegie Hall, Barbican Centre, Royal Albert Hall ou o Walt Disney Concert Hall, a acompanhar artistas como Ana Moura, Carlos do Carmo, Carminho, António Zambujo e Mariza, Ângelo Freire revela todo o seu talento enquanto instrumentista de excepção e fadista.

Aos 12 anos, em 2000, e enquanto intérprete, Ângelo Freire foi vencedor da Grande Noite do Fado, na categoria de Juvenis, e do concurso internacional ?Bravo Bravíssimo?. Mais tarde, em 2004, seria distinguido novamente na Grande Noite do Fado, na categoria de Instrumentistas, e em 2012 com o Prémio Amália Rodrigues, na categoria de Melhor Guitarrista - ambos com a Guitarra Portuguesa.

Fotografia: Rui Bandeira.

Soam As Guitarras é um projeto: Câmara Municipal de Oeiras| Ghude
Coprodução: Câmara Municipal de Évora | Câmara Municipal Póvoa de Varzim
Parcerias: CISION | Hope Consulting
Media partner: Antena 1

 

ALINE FRAZÃO convida PEDRO JÓIA

"É sempre à guitarra que escrevo as minhas canções, como quem brinca de reinventar um novo mundo naqueles acordes que aprendi com a Bossa Nova de Jobim. Ao longo dos anos fui tecendo uma relação cada vez mais íntima com o instrumento, de maior entendimento acústico, rítmico, harmónico e de novas experiências com o universo da electricidade. Afinal, estamos sempre juntas em palco, eu e a guitarra, e o tempo vai nos fazendo cada vez mais um só corpo. É essa a homenagem que tentarei fazer neste concerto, a esse maravilhoso instrumento que desta vez, serei eu a acompanhar, num passeio por algumas das minhas canções mais intimamente ligadas a ele. Neste concerto, será um privilégio ter o Pedro Jóia como convidado, ele que é um verdadeiro virtuoso, dono de uma sensibilidade e de um bom gosto que falam por si no seu vasto trabalho."

(Aline Frazão)

Fotografia Aline Frazão: Fradique
Fotografia Pedro Jóia: Rita Carmo

Video »

 

DAVID FONSECA
RADIO GEMINI_Closer

É difícil catalogar David Fonseca, um dos músicos e compositores mais prolíferos e diversificados da história da música portuguesa. Começou com os Silence 4, um êxito imediato e esmagador que levou as suas canções a milhões de uma só vez. A sua carreira a solo produziu inúmeros singles de sucesso e os seus álbuns estão sempre equilibrados entre o experimentalismo e refrões impossíveis de resistir, seja na língua inglesa ou portuguesa. Fez parte dos "Humanos", o projecto que redescobriu António Variações para o novo século; produziu de raiz um álbum de tributo a David Bowie, "Bowie 70", com a colaboração de algumas das maiores vozes da música nacional; realizou (e realiza) grande parte dos seus videoclips, fotografias e capas de discos. Comemorou 20 anos de carreira recentemente e, apesar do longo percurso, recusa-se a olhar para trás e continua a desbravar novos caminhos na música e na arte.

David Fonseca é conhecido pelos seus espectáculos e pela sua performance fora-de-série, nunca se sabendo exactamente o que poderá acontecer a seguir. Para este ano, preparou algo que há muito queria fazer e que intitulou "Radio Gemini_Closer": o cruzamento do cinema e das imagens com a sua música num espectáculo único que se propõe a levar o público numa viagem intimista através do seu imaginário peculiar. Uma oportunidade única de descobrir muitos dos caminhos secretos que este artista percorre através das suas composições e dos seus olhos, um filme interactivo em tempo real para acompanhar em conjunto com a sua performance ao vivo. Segundo David Fonseca, "há um lado imensamente pessoal nesta abordagem, mas talvez seja essa a magia de tocar ao vivo, de me revelar como raramente tenho oportunidade de fazer. Vai ser um espectáculo em cima de uma corda bamba entre imagens e sons, tão real e frágil como a vida, mas maior, mais alto e, se tudo correr bem, com confettis!".

A não perder.

David Fonseca: voz, guitarras, teclados, percussão
Paulo Pereira: teclado, programações, percussão, voz

www.davidfonseca.com
www.youtube.com/davidfonsecamusic

 

LUÍSA SOBRAL (duo)

Luísa Sobral está de regresso aos palcos em 2019 com "Rosa", o 5º álbum de originais que apresentará ao vivo, em formato duo, no dia 5 de Abril no Auditório Eunice Muñoz, em Oeiras, integrado no festival Soam as Guitarras.

Editado em Novembro de 2018, "Rosa" foi produzido pelo catalão Raül Refree - um dos mais prestigiados produtores e multi-instrumentistas de Espanha (produtor de nomes como Mala Rodriguez, Silvia Pèrez Cruz e Rosalía) - e foi, todo ele, gravado como se fosse ao vivo. Para além da voz e guitarra, Luísa Sobral e o seu produtor privilegiaram os instrumentos clássicos: um trio de sopros e percussão clássica. "Rosa" é o álbum mais pessoal, maduro e intimista de Luísa Sobral. A beleza das composições é realçada pelo despojamento dos arranjos e pela cumplicidade criativa entre Luísa e Refree.

Luísa Sobral é uma das compositoras e cantoras mais importantes da nova geração de músicos portugueses. Estreou-se em 2011 com a edição de "The Cherry on My Cake", um álbum bem recebido pelo público e pela crítica. Seguiu-se "There's A Flower In My Bedroom" (2013), com convidados como Jamie Cullum, António Zambujo e Mário Laginha, "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa" (2014) onde expande o seu universo para fora dos limites estéticos dos seus dois primeiros discos e "Luísa" (2016) que foi gravado em Los Angeles, pelo prestigiado produtor norte-americano Joe Henry. Em 2017 compôs "Amar Pelos Dois" o tema vencedor do Festival Eurovisão da Canção, interpretado pelo seu irmão Salvador Sobral.

Para apresentar o novo trabalho, Luísa Sobral subirá ao palco acompanhada pelo guitarrista Manuel Rocha.

Fotografia: Marta D'Orey

www.luisasobral.com
www.youtube.com/watch?v=P0ayjslNqg0

 

MANEL CRUZ

Manel Cruz, que lançou recentemente Cães e ossos, Beija-flor, Ainda não acabei e O navio dela, os quatro singles que antecedem a edição do seu novo álbum, VIDANOVA, que contém algumas das músicas que tem vindo a compor. Após o lançamento do seu novo trabalho, com edição física e digital a 5 de Abril de 2019, Manel Cruz inicia a digressão de apresentação desta nova fase.

Foram várias as paragens que se foi obrigando a fazer para assentar os pés e calcar a terra. Algumas delas nos Ornatos Violeta, outras em Pluto, no lugar errático dos SuperNada e, finalmente, no projeto enigmático que foi Foge Foge Bandido, mostrando recortes, vozes e memórias da viagem - desta vez a solo - que havia feito nos últimos 10 anos. Recarregar energias foi na Estação de Serviço, que apresentou em 2015, com melodias que já sabíamos de cor e novas lengalengas e frases soltas que ficámos com vontade de memorizar.

No Soam as Guitarras, Manel Cruz apresenta-se sozinho e sem guião, para concertos intimistas que visitarão vários momentos da sua vasta discografia.

Fotografia: ® SFPNMC

youtu.be/fGhT57tlk7U

 

MARTA PEREIRA DA COSTA convida TIAGO BETTENCOURT

Marta Pereira da Costa convida Tiago Bettencourt para a terceira edição do Soam as Guitarras, num espectáculo que une inovação e tradição, levando o público numa viagem por sonoridades que abraçam as maiores referências da artista na guitarra portuguesa, fado tradicional e jazz, e passa ainda pela discografia de Tiago Bettencourt.

Quando se conheceram um era estudante de arquitectura e outra de engenharia. Nunca imaginaram, nessa altura, o caminho que iriam traçar na música. Tiago Bettencourt é um apaixonado por fado e, dessa forma, facilitou o encontro para fadistices e tertúlias. Em palco, encontraram-se pela primeira vez no Teatro Tivoli, a convite de Marta, num espectáculo de fado e guitarra portuguesa, que conquistou o público através da cumplicidade partilhada pelos artistas.

Marta Pereira da Costa é actualmente a primeira e única guitarrista profissional de Fado a nível mundial do sexo feminino. Foi distinguida pela Fundação Amália Rodrigues com o "Prémio Instrumentista" em 2004.

Marta Pereira da Costa e Tiago Bettencourt: voz e guitarra; António Pinto: viola; Miguel Amado: contrabaixo; Alexandre Diniz: piano e acordeão; André Sousa Machado: percussão.

Fotografia Marta Pereira da Costa: Rui Aguiar

youtube.com/watch?v=ce88C62gLFw

 

Pedro Caldeira Cabral
Nova Cítara Portuguesa

A Cítara Portuguesa tem vindo a despertar o interesse crescente do público atento à fruição de géneros musicais diferentes do uso popular deste instrumento no tradicional contexto do Fado. Como resultado deste interesse é cada vez mais frequente a sua apresentação em salas de concerto e em festivais de música clássica por todo o mundo . Para tal temos contribuido, desde a década de 1970, com a criação de um novo repertório solístico alargado, constituido por composições originais e transcrições de peças de música do passado, estas originalmente concebidas para instrumentos de corda dedilhada da tradição europeia, como a cítara, o alaúde, a viola de mão, ou os de tecla como o cravo e o pianoforte, de cuja identidade tímbrica se aproxima.

A Cítara é conhecida em Portugal desde o século XVI, sendo principalmente tocada nos meios aristocráticos e monásticos, abrangendo o seu repertório vários géneros: O acompanhamento do canto, a execução de peças de dança, as versões transcritas de canções polifónicas, simples ou glosadas e de fantasias instrumentais a solo. Integrava também frequentemente os conjuntos vocais e instrumentais realizando uma função harmónica e rítmica, a par das violas, da harpa, do cravo e do orgão.

São numerosas as referências à sua utilização ao longo dos séculos XVII, XVIII e XIX, ao seu repertório e às suas técnica específicas e até a pormenores da sua afinação, em fontes documentais de índole diversa, desde as crónicas à poesía, dos dicionários aos métodos instrumentais, à iconografia, etc.

Na actualidade, para além da nossa actividade de investigação, composição e apresentação concertística regular, são de referir os contributos de Ricardo Rocha (1974), Hugo Vasco Reis (1981), Miguel Amaral (1982) e Luis Marques (1989) na divulgação do novo repertório para a cítara portuguesa.

© Pedro Caldeira Cabral 2018

 

Pedro Caldeira Cabral

Nasceu em Lisboa em 1950. Inicia a aprendizagem musical na infância em ambiente familiar, tocando flauta de bisel, guitarra clássica e cítara portuguesa.
Mais tarde, estuda teoria musical, composição, história da música e música antiga, com os prof.s Artur Santos, Jorge Peixinho. Pilar Torres e Santiago Kastner, entre outros.

Desenvolve como compositor, um estilo original próprio para guitarra solista, compondo também música de câmara para Teatro, Cinema e Bailado.
Fundou e dirige os grupos La Batalla (1984) e Concerto Atlântico (1991) especializados na interpretação de Música Antiga em instrumentos históricos.

Em 1987, funda e dirige o Centro de Estudos e Difusão de Música Antiga, apresentando as primeiras restituições modernas do Cancioneiro de D. Dinis, Cancioneiro de Estevão da Guarda e Cancioneiro de D. João Peres d'Aboim, entre muitos outros programas.
Foi responsável pela direcção artística do Festival de Guitarra Portuguesa na Expo 98, em Lisboa. No âmbito da sua actividade de investigação organológica, a Ediclube publicou em 1999 o livro ?A Guitarra Portuguesa?, de que é autor.

Em 2002 concebeu e apresentou a exposição ? À Descoberta da Guitarra? no Museu Abade de Pedrosa, integrando o Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso.
Nos anos de 2000 a 2010 dirigiu o Festival de Música Medieval de Carrazeda de Ansiães. Entre 2007/2012 dirigiu o ciclo de concertos ?O Som das Musas? , em Vila Flor.

Da sua vasta e variada discografia, salienta-se a concepção e publicação de dezasseis CDs como solista de cítara portuguesa, para as editoras internacionais EMI, RCA, GHA, BMG, Fenn e para as nacionais Tecla, Orfeu, Radical Media, Foco Musical, Tradisom, Primetime, etc.

Prepara actualmente a publicação de um novo livro da sua autoria sobre os instrumentos tradicionais portugueses. Tem-se apresentado na qualidade de solista em inúmeros concertos nas principais salas e festivais da Europa, EUA, Hawaii, Turquia, Tunísia, Marrocos, Colombia, Brasil e China.

Fotografia: Estelle Valente

 

Ricardo Rocha

Nasceu em 1974, sendo neto do guitarrista Fontes Rocha, um nome incontornável do repertório da guitarra portuguesa tão enraizado na música popular no nosso país. Começou a tocar guitarra aos 8, e nos seus verdes anos a curiosidade levou-o ao piano, instrumento e repertório associado que considera tê-lo permitido compor para a guitarra portuguesa. Agraciado já por duas vezes com o Prémio Carlos Paredes, assim como recipiente do Prémio Revelação Ribeiro da Fonte para Jovens Compositores e Troféu Amália Rodrigues para Melhor Guitarra Portuguesa, diz sempre ter distinguido e vivido "com muita disciplina os dois mundos: a guitarra e o mundo do fado, e depois poderia criar-se outro mundo paralelo ao do fado". Ou como a sua editora propunha em 2010 pelo lançamento do seu segundo álbum, "Luminismo", apelando a entendê-lo para além da fenomenal técnica evidenciada, Ricardo Rocha "assemelha-se mais a um cirurgião, extraíndo o tumor "Fado" de um instrumento que raramente conheceu vida própria, para além da inscrita nessa tradição". Afiançou um provável "adeus aos palcos" em nome próprio a 29 de Março de 2011, num monumental concerto no Teatro Maria Matos em que apresentou a integral - até essa data - das suas composições para guitarra portuguesa. Em 2014 lançou um novo disco, "Resplandecente", com um quarteto de guitarras interpretado pelo próprio em lúcida heteronímia, revelando que "subverter um cânone socorrendo-me de outro - o do quarteto - provou-se simplesmente irresistível." Além das suas peças a solo já conhecidas, neste regresso aos concertos apresentará, ainda, alguns Prelúdios para guitarra portuguesa, inéditos em disco, que se preparar para gravar, intuindo-se novo abalo sísmico na literatura do instrumento por este raro, desafiante e precioso compositor e intérprete.

Fotografia: Reinaldo Rodrigues

ricardorocha.bandcamp.com
youtube.com/watch?v=r5iZMKYYZv8

 

ROYAL BERMUDA

Royal Bermuda é exótica Saudade. É Música que bebe da tradição portuguesa e navega além nos muitos mares que a rodeia, combinando estórias de planícies reconfortantes e de sinuosas cordilheiras. Fazem música simples, desde a balada mais profunda até à mais fogosa folia. Passaram por palcos como a Casa da Música, Reverence Festival, Serralves, Arredas Folk Fest, Boom Festival, entre muitos outros. O primeiro álbum, "Paraíso Cafajeste", foi editado em Janeiro de 2019 e é agora apresentado no Soam As Guitarras.

Fotografia: José Ferreira

youtube.com/watch?v=ebC3FrEamFc

 

RUBEL

Rubel é um dos principais nomes da nova Música Popular Brasileira. Em 2018, foi indicado ao Grammy Latino na categoria "melhor disco de rock ou música latina em Português", pelo disco "Casas" (Dorileo/Natura Musical). Após o lançamento do disco, Rubel deu 65 concerto em 51 cidades, dentro e fora do Brasil e consolidou parcerias com os rappers Emicida e Rincon Sapiência. Duas das suas composições integraram novelas da Globo (Onde Nascem os Fortes e Malhação) e foi capa da revista GQ ao lado de Zeca Veloso. O cantor, compositor e cineasta do Rio de Janeiro, hoje com dois álbuns no currículo, tornou-se um dos mais requisitados e respeitados da nova música brasileira além de ultrapassar a marca de 30 milhões de visualizações com o clipe da canção "Quando Bate Aquela Saudade".

Pearl, o disco de estreia, foi disponibilizado na internet em 2013. Dois anos depois, Pearl ganhava um tamanho fora do comum para trabalhos com essas características. Casas, lançado em 2018, trouxe um artista ainda muito ligado à música popular brasileira - e até "flertando" com o samba - mas sem medo de incursões pelo universo do hip hop e do R&B moderno. O segundo álbum também incluiu uma música que os fãs já conheciam: "Partilhar", cuja performance voz e violão no Sofar Sounds se tornou na mais assistida da série, ultrapassando a marca de um milhão de plays.

youtube.com/watch?v=eWlzUovtLoQ

 

THE LEGENDARY TIGERMAN convidada especial: CALCUTÁ

The Legendary Tigerman é o alterego de Paulo Furtado. Inspirado no velho formato de one-man-band nascido nas margens do Delta do Mississipi, é um conceito adaptado e vivido no Século XXI, com uma estética muito particular - ao formato analógico tradicional (bombo, prato de choque, guitarra) juntam-se, sem pudor, soluções electrónicas.

O Tigerman vive sobretudo no palco com digressões em vários Países - Portugal, Espanha, França (foi o o primeiro português a actuar no Festival Trans Musicales de Rennes, importante rampa de lançamento a nível europeu), Suiça, Alemanha, Bélgica, Inglaterra, EUA, Japão (Fuji Rock Festival - 7 Espectáculos em três dias, no maior Festival do mundo), Brasil, México, China.

A história de The Legendary Tigerman começa com 3 Álbuns - entre 2001 e 2006 - Naked Blues (2001); Fuck Christmas, I Got the Blues (2003); Masquerade (2006) - todos com distribuição internacional. Pelo meio, o Livro + CD In Cold Blood.

Em 2019, celebram-se 10 anos sobre o lançamento do álbum Femina que foi Disco do Ano e atingiu o Galardão de Platina. Editado em Espanha (um dos Discos do Ano 2010 para o El Pais), França (incluído nas listas dos melhores Discos do Ano 2010 para as revistas Les Inrockuptibles, Rock & Folk e Telerama), Suiça, Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda, EUA e Canadá.
Femina é um disco centrado no universo feminino com a participação de Asia Argento, Peaches, Lisa Kekaula, Becky Lee, Phoebe Killdeer, Cibelle, Maria de Medeiros, Rita Redshoes, Claúdia Efe, Mafalda Nascimento e Cais Sodré Cabaret.

Em 2014 edita True. É rock'n'roll com orquestrações, sopros, piano e uma segunda bateria. Depois de 99 concertos em 2014 - entre a Europa, Brasil, México e China - o ano de 2015 trouxe a consagração para o one man band mais prolífico da Europa. Em Janeiro de 2018 chegou MISFIT, o sexto álbum de originais de THE LEGENDARY TIGERMAN. Gravado no mítico estúdio Rancho de La Luna, foi produzido por Paulo Furtado e coproduzido e misturado por Johnny Hostile, que trabalha regularmente com as Savages, enquanto a masterização ficou por conta de John Davis (Nick Cave, Royal Blood, Led Zeppelin).

No Soam As Guitarras 2019, THE LEGENDARY TIGERMAN estreia como convidada especial: CALCUTÁ. Este é nome escolhido por Teresa Castro para compor e interpretar música a solo, destacando-se assim do outro projecto que integra, a banda Mighty Sands. Aqui também canta em inglês e toca guitarra, mas distingue-se por se enquadrar numa estética ghost folk: o seu fingerpicking sereno e insistente, veículo harmonioso e rítmico para as melodias e letras, leva-nos para o outro lado do Atlântico, para a terra dos westerns, para tempos que só podemos aceder através de histórias, de memórias, de fantasmas.

youtube.com/channel/UCJTIS3mRA0RXCv7GIroZhlA

Informações

LINHA INFORMAÇÕES:
Tel. 214 408 582 / 24 (das 14h00 às 20h00)

Bilhetes

OEIRAS

Auditório Municipal Eunice Muñoz (Tel. 214 408 411): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
Auditório Municipal Ruy de Carvalho (Tel. 214 170 109): dias de espetáculo, a partir das 15H00;
Igreja da Cartuxa (Tel. N/T): dias de espetáculo, a partir das 18H00;
Loja/Posto de Turismo do Palácio Marquês de Pombal (Tel. 214 430 799): diariamente, entre as 10H00 e as 18H00;
CAMB – Centro de Arte Manuel de Brito (214 111 400): 3ª a 6ª Feira, 10H00 às 18H00; Sábados, das 12H00 às 18H00
CCPE – Centro Cultural Palácio do Egipto (214 408 781): de 3ª Feira a Sábado, das 12H00 às 18H00. Encerra aos Feriados;
Recepção/Loja da Fábrica da Pólvora de Barcarena (210 977 420): de 3ª Feira a Domingo, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00; Dias de espetáculo, até às 22h30;

ÉVORA

Teatro Garcia de Resende (Tel: 266 703 112)
Arena d’Évora (Tel: 266 743 133)
Posto de Turismo de Évora (Tel: 266 777 071)
Pontos de Venda Nacionais: Worten, FNAC, CTT, El Corte Inglês

Locais de Venda

Informação a ser disponibilizada brevemente...

"Soam As Guitarras" é um projeto:
 
Oeiras Marca o ritmo
Ghude
Co-produção:
 
Câmara Municipal de ÉvoraCâmara Municipal da Póvoa de VarzimPalácio CadavalCine-Teatro GarretTeatro Garcia de Resende - CENDREV
Parcerias:
 
Media Partner:
 
Antena 1
Facebook Linkedin Twitter Google + Pinterest